PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Um desafio à internacionalização de autores e temas angolanos | AGUALUSA ESTÁ ENTRE OS FINALISTAS DO PRÉMIO CORRENTES D’ ESCRITAS

Foram ontem (04/01) divulgadas as 13 obras finalistas, de um conjunto de 170 candidaturas ao Prémio Literário Correntes d’Escritas Casino da Póvoa 2016, da iniciativa da Câmara de Varzim, Portugal, avaliado em 20 mil Euros. Nesta que é a 17.ª edição do concurso, Angola está representada por A Rainha Ginga, de José Eduardo Agualusa. A cerimónia de anúncio do vencedor decorre de 23 a 27 de Fevereiro.

A nomeação de Agualusa (n. Huambo, Angola, 1960), através do romance A Rainha Ginga (editora Quetzal 2014), sobre a figura histórica na luta-anticolonial (1583-1663), volta a levantar a necessidade de se apostar na internacionalização de temas e autores angolanos. E neste campo, não há pontes eficazes para a divulgação de autores residentes em Angola. Nos três últimos anos, a União dos Escritores Angolanos tem anunciado o estabelecimento de parcerias com editoras europeias, entretanto sem grande impacto. De acordo com o regulamento do Correntes D’Escritas, «apenas serão aceites a concurso as obras publicadas em Portugal».

O Júri, constituído por Carlos Vaz Marques, Helena Vasconcelos, Isabel Pires de Lima, João Rios e José Manuel Fajardo, indicou ainda: A Casa Azul, Cláudia Clemente, (Planeta); A Desumanização, de Valter Hugo Mãe (Porto Editora); A Liberdade de Pátio, de Mário de Carvalho (Porto Editora); As Leis da Fronteira, de Javier Cercas (Assírio & Alvim); Barba Ensopada De Sangue, de Daniel Galera (Quetzal); Cláudio e Constantino, de Luísa Costa Gomes (Dom Quixote); Da Família, de Valério Romão (Abysmo); Gente Melancolicamente Louca, de Teresa Veiga (Tinta da China); Hereges, de Leonardo Padura (Porto Editora); O Sonho Português, de Paulo Castilho (Dom Quixote); Os Memoráveis, de Lídia Jorge (Dom Quixote); Tudo são Histórias de Amor, de Dulce Maria Cardoso (Tinta da China).

Instituído em 2003, o então Prémio Literário Casino Da Póvoa, hoje Prémio Literário Correntes D’ Escritas Casino Da Póvoa, distingue anualmente uma obra em português, editada em Portugal, escrita por autores de língua portuguesa, castelhana/hispânica.
Gociante Patissa. Benguela, 05.01.2016
www.angodebates.blogspot.com

Sem comentários: