PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Enquanto a regulação não funciona, autores e imitadores praticam o diálogo de surdos | VETERANO MÚSICO ELIAS DYA KIMWEZU ACUSA:

[Quanto ao semba actual feito pela juventude] «A maioria fá-lo de forma deturpada, o que me chateia. Inclusive há indivíduos a gravarem e interpretarem músicas alheias sem autorização do dono. E isso aconteceu também comigo. O Eddy Tussa gravou uma música minha sem autorização e uma rapariga também fez o mesmo com uma outra minha música. A que o Eddy Tussa gravou, o título em português traduz-se em “Minha Canção”, e a miúda gravou o “Nzala”.» [Se já os contactou?] Para fazer o quê? Nós artistas temos a União Nacional dos Artistas e Compositores (UNAC) para nos defender. Vamos ver no que isso pode dar, apesar de ainda não lhes ter levado essa preocupação. O pior é que essas músicas são comercializadas. Eles fazem muito dinheiro com elas. O Eddy Tussa ainda se dá o luxo de afirmar em público que com a venda dos discos comprou terreno e vai construir uma casa.» Ler entrevista do portal REDE Angola aqui

Sem comentários: