Edição angolana do livro de contos

Edição angolana do livro de contos
Edição angolana do livro de contos

PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Foto-reportagem 4 | MESA DE DEBATE NA CASA DA BANDA OLODUM SOBRE LETRA E MÚSICA


Os escritores Geovani Martins, brasileiro, e Gociante Patissa, angolano, foram osconvidados para debater sobre "Letra e Música" às 19 horas de sábado, 11.08.2018, no quadro da programação da Flipelô (Festa Literária do Pelourinho), na cidade de Salvador, Brasil. A sessão teve lugar na Casa do Olodum, uma icónica banda no segmento do samba-reggae e tradição do tambor, com incidência em contar a história do continente africano por meio do canto. 
Juntaram-se ao painel dois outros vocalistas e compositores, tendo ficado a moderação ao comando do historiador João José Reis, líder da banda. Gociante Patissa esteve na “FLIPELÔ” a convite da Fundação Pedro Calmon, liderada por Zulu Araújo, organismo da superintendência da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.



Agradecimentos à Nana Carvalho pela assessoria e talento na captação das imagens | www.angodebates.blogspot.com

Foto-reportagem 3 | ENCONTRO DE CORTESIA COM A SECRETÁRIA DE CULTURA DO ESTADO DA BAHIA E ALMOÇO COM SENADORA


No encontro de boas-vindas, a 09.08.2018, o escritor angolano Gociante Patissa ofereceu à Secretária de Cultura do Estado da Bahia (Secult), Arany Santana, um exemplar do seu primeiro livro de contos, “A Última Ouvinte”, editado pela União dos Escritores Angolanos em 2010, um exemplar da antologia “Angola 40 Anos – 40 Autores – 40 Contos”, publicada pela Mayamba no ano de 2015 para comemorar o 40.º aniversário da Independência nacional, bem como um exemplar do Jornal de Angola, diário oficial, edição de 7 de Agosto, que estampa na última página a notícia da sua participação na “FLIPELÔ”, Festa Literária do Pelourinho, a convite da Fundação Pedro Calmon. 
Arany, proeminente activista da resistência do movimento negro, ofereceu um considerável acervo bibliográfico sobre estudos da memória oral e etnográfica de alguns segmentos excluídos. Seguidamente, a fundação Pedro Calmon, tutelada pela Secult, proporcionou um almoço de cortesia com a senadora federal Lídice da Mata, que em 1992 foi eleita primeira prefeita da história da cidade de Salvador, e também a primeira mulher em tal posto. Lídce é das principais influenciadoras das decisões legislativas a favor da cultura.
Agradecimentos à Nana Carvalho pela assessoria e talento na captação das imagens | www.angodebates.blogspot.com

Entrevista | “Serei naturalmente candidato ao Nobel de Literatura 2019”, Zetho Cunha Gonçalves

Foto: Cortesia (via facebook)

Zetho Cunha Gonçalves é, até onde sabemos, o único angolano alguma vez candidato, de facto, a algum Prémio Nobel. A iniciativa da proposta do seu nome partiu da Universidade de Lisboa. Nasceu na província do Huambo, corria o distante ano de 1960. Poetaensaísta, tradutor e autor de literatura infantil, poderá não ser um nome muito conhecido do púbico leitor angolano em função de residir na europa. Nesta entrevista que concedeu ao Blog Angodebates www.angodebates.blogspot.com, o autor de «Rio Sem Margem» manifestou estranheza pelo facto de a imprensa angolana ter ignorado a sua candidatura ao Prémio Nobel de Literatura, edição do ano 2018, que no entanto acabou cancelada devido à demissão em massa dos membros da Academia Sueca.

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Foto-reportagem 2 | MESA DE DEBATE "COM OS PÉS NA ÁFRICA"

“Conversa com o autor, Com os Pés na África” foi o tema da principal mesa de debate na programação da “FLIPELÔ” (Festa Literária do Pelourinho) para o terceiro dia da jornada, 10 de Agosto. Sob mediação de Zulu Araújo, Director Geral da Fundação Pedro Calmon, participaram o brasileiro Sérgio Túlio Caldas e o angolano Gociante Patissa. Túlio Caldas é jornalista de televisão, já trabalhou em Angola a fazer documentários a assessorar a TPA. A Flipelô, que vai na sua segunda ediçãi, é uma iniciativa da Casa-Museu de Jorge Amado, dirigida por Ângela Fraga e Ticiano Martins. Gociante Patissa e a jovem zimbabueana Rutendo Tavengerwei foram os dois representantes do continente africano na qualidade de escritor internacional palestrante.
A sessão teve duração aproximada de 90 minutos com um cardápio que passeou pelos livros dos "contendores", a questão das identidades e o processo de escrita, assim como pelas suas vivências e memórias de leitura. A realidade actual e os desafios do sector livreiro não ficaram de parte. O auditório esteve lotado do princípio ao fim, com uma plateia de cerca de 300 almas, duas delas angolanas. A sessão foi muito bem acolhida e aplaudida pela comunidade académica, diplomatas, escritores, editores, livreiros, e pela classe artística de modo geral ali presente. 

Vale ressaltar, no campo da diplomacia cultural, as presenças da Secretária de Cultura do Estado da Bahia, Arany Santana, e do Director do Centro Cultural Casa de Angola na Bahia, Benjamim Sabby.
A captação das imagens contou com o prestimoso apoio e talento de Nana Carvalhowww.angodebates.blogspot.com

Foto-reportagem 1 | CASA DE ANGOLA NA BAHIA

Na manhã de sexta-feira, 10/08/2018, o escritor angolano Gociante Patissa visitou o Centro Cultural Casa de Angola, na companhia da Sra Larissa Kharkevitch, em representação do Director Geral da Fundação Pedro Calmon, Zulu Araújo, organismo da tutela da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, república federativa do Brasil. O Director Artístico da Casa de Angola, Benjamim Sabby, apresentou os cantos da nossa "embaixada cultural", num ambiente descontraído e puramente mwangolê. Patissa esteve a participar na Festa Literária do Pelourinho "Flipelô", que decorreu de 8 a 12 de Agosto na cidade de Salvador, na qualidade de escritor-palestrante convidado internacional a convite da Fundação Pedro Calmon, república federativa do Brasil. 

Durante a sua estada naquela cidade, observou uma vasta e intensa agenda que consistiu em presenciar colóquios, efectuar visitas a instituições, bem como encontros de diplomacia cultural. Os agradecimentos sinceros e gigantesco desde já são devidos ao mais-velho Adriano Mixinge e ao próprio Benjamim Sabby (mas eu não disse nada, né? rsrsrs) www.angodebates.blogspot.com