PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

sábado, 22 de março de 2008

Lista completa dos partidos políticos

Retomamos aqui a lista publicada pelo Blog "Pensar e falar angola" http://blogdangola.blogspot.com/2008/03/lista-completa-dos-partidos-polticos.html, que cita, por sua vez, o Jornal de Angola.

001 – Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA)
002 – União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA)
003 – Partido da Aliança Juventude Operária e Camponesa de Angola (PAJOCA)
004 – Partido Social Democrata (PSD)
005 – Partido Renovador Democrático (PRD)
006 – Partido de Renovação Social (PRS)
007 – Convenção Nacional Democrática de Angola
008 – Partido Nacional Democrático de Angola
009 – Partido Democrático Pacífico de Angola
010 – Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA)
011 – Partido Democrático de Angola (PDA)
012 – Partido Democrático para o Progresso de Aliança Nacional de Angola (P.D.P.-A.N.A)
013 – Frente para Democracia (FpD)
014 – Partido Angolano Liberal (PAL)
015 – Partido Angolano Independente (P.A.I)
016 – Partido Liberal Democrático (P.L.D)
017 – Movimento de Defesa dos Interesses de Angola – Partido de Consciência Nacional (M.I.D.A/P.C.N)
018 – Partido Social Democrático Angolano (P.S.D.A)
019 – Partido Democrático Liberal de Angola (PDLA)
020 – Unificação Democrática Angolana (U.D.A)
021 – Partido Renovador Angolano (P.R.A)
022 – União Nacional para a Democracia (U.N.D)
023 – União Nacional da Luz para a Democracia e Desenvolvimento de Angola (UNLDDA)
024 – Partido Angolano Conservador da Identidade Africana (PACIA)
025 – União Nacional Patriótica para a Democracia (U.N.D.P)
026 – União Nacional para Democracia e Progresso (UNDP)
027 – Partido de Solidariedade e da Consciência de Angola (P.S.C.A)
028 – Partido Social Liberal (P.S.L)
029 – Partido Democrático Radical de Angola (P.D.R.A)
030 – Partido Socialista Angolano (PSA)031 - Partido de Apoio Para Democracia e Desenvolvimento de Angola (PADDA)
032 - Tendência de Reflexão Democrática (TRD)
033 - Aliança Nacional Democrática (AND)
034 - União Democrática dos Povos de Angola (UDPA)
035 - Partido de Expressão Livre Angolano (PELA)
036 - Partido Social da Paz de Angola (PSPA)
037 - Partido Angolano para os Interesses Democráticos (PAID)
038 - Partido Frente Democrática de Angola (PFDA)
039 - Partido de Convergência Democrático Angolano (PCDA)
040 - União Social Democrática (USD)
041 - Partido Nacional e Progressista de Angola (PNPA)
042 - Partido Nacional Independente de Angola (PNIA)
043 - Partido para a Unidade Nacional de Angola (PUNA)
044 - Aliança para Democracia dos Povos de Angola (ADPA)
045 - Partido Angolano Do Desenvolvimento Social (PADS)
046 - Partido Nacional Ecológico de Angola (PNEA)
047 - Frente Nacional de Desenvolvimento Democrático de Angola (FNDDA)
048 – Partido Independente Renovador (P.I.R)
049 – Partido de Convenção Democrática e Progresso (P.C.D.P)
050 – Partido da Comunidade Comunista Angolana (P.C.C.A)
051 – Partido Congressista Angolano(P.C.A)
052 – Partido Democrático Unificado de Angola (P.D.U.A)
053 - Partido de Apoio a Liberdade e Democracia de Angolana (PALDA)
054 – Partido Angolano para Unidade e Democracia e Progresso (P.A.U.D.P)
055 – Partido Democrático para o Progresso Social (P.D.P.S)
056 – Movimento Democrático de Angola (M.D.A)
057 – Partido de Aliança Democrática para a Liberdade de Angola (ADLA)
058 – Partido Angolano para Unidade e Desenvolvimento (P.AU.D.)
059 – Partido Republicano Social Democrático (PRSD)
060 – Partido de Aliança Livre de Maioria Angolana (P.A.L.M.A)
061 – Partido Progressista Democrático Liberal de Angola (P.P.D.L.A)
062 – Partido Restaurador da Esperança (P.R.E)
063 – Movimento para Democracia de Angola (MPDA)
064 – Partido Trabalhista de Angola (P.T.A)
065 – União Democrática Nacional de Angola (UDNA)
066 – Partido Nacional (PN)
067 – Partido Operário Social Democrático (POSDA)
068 – Partido Liberal para o Progresso de Angola (PLPA)
069 – Partido de Apoio Democrático e Progresso de Angola (PA.DE.PA)
070 – União Angolana pela Paz Democracia e Desenvolvimento (U.A.P.D.D)
071 – Partido Democrático dos Trabalhadores (P.D.T)
072 – Movimento Patriótico Renovador da Salvação Nacional (M.P.R./S.N.)
073 – Partido de Convergência Nacional (P.C.N)
074 – Partido Social Independente de Angola (P.S.I.A.)
075 – Partido da Comunidade Socialista Angolana (P.C.S.ª)
076 – Centro Democrático Social (C.D.S.)
077 – Partido Angolano Unificado para a Solidariedade (P.A.U.S.)
078 – Partido Angolano Conservador do Povo (PACOPO)
079 – Partido Salvação Nacional (P.S.N.)
080 – Partido Nacional de Salvação de Angola (P.N.S.A.)
081 – Partido Republicano Conservador Angolano (P.R.C.A.)
082 – Partido Conservador (P.C.)
083 – Partido Liberal para a Unidade Nacional (P.L.U.N.)
084 – Aliança do Povo Independente e Democrático de Angola (A.P.I.D.A)
085 – Aliança Nacional (A.N.)
086 – União Nacional Angolano – Partido da Terra (U.N.A.-P.T.)
087 – Congresso de Aliança Democrática Angolana (C.A.D.A.)
088 – Partido Angolano Republicano (P.A.R.)
089 – Partido Pacífico Angolano (P.P.A.)
090 – Partido de Apoio à Liberdade Linguística de Angola (P.A.L.L.A.)
091 – Partido Democrático Nacional (P.D.N.)
092 – Partido de Reunificação do Povo Angolano (P.R.P.A.)
093 – Partido de Massas Democráticos (P.M.D.)
094 – Frente Juvenil de Salvação/Partido Juvenil da Social Democracia (F.R.E.S.A./P.J.S.D.)
095 – Aliança Nacional Independente de Angola (A.N.I.A.)
096 – Partido Republicano de Angola (P.R.E.A.)
097 – Aliança Democrática Angolana – Cristã (A.D.A.C.)
098 – Partido Democrático de União Nacional de Angola (P.D.U.N.A.)

Lista de partidos políticos em situação ilegal

001 - União do Povo Angolano (UPA)
002 -Frente Unida Pacífica de Angola (FUPA)
003 - Fórum Juvenil Integral (FIJ)
004 - Partido de Reconstrução Nacional (PRN)
005 - Movimento Independente Democrático de Angola (MIDA)
006 -Partido da Aliança Pacífica e Progresso de Angola (PAPPA)
007 - União Nacional da Resistência Democrática (UNRD)
008 - Unidade Liberal Democrática (ULDA)
009 - Frente Social Democrática Para o Progresso (FSDP)
010 - Partido Nacional dos Camponeses Angolanos (PNCA)
011 - Partido Republicano da Juventude de Angola (PRJA)
012 - Partido Democrático Social (PDS)
013 - Frente de Esperança para Democracia de Angola (FEDA)
014 - Partido da Unidade Democrática de Angola (PUDAD)
015 - Frente Unida para Liberdade Democrática (FULD)
016 - Partido da Classe Operária Camponesa (PCOC)
017 - Movimento Nacional Democrático (MND)
018 - Partido Unido dos Renovadores Angolanos (PURA)
019 - Partido do Desenvolvimento Operário Angolano (PDOA)
020 - Movimento para Estabilidade e Progresso (MNEP)
021 - (PUFRAS)*022 - Partido Popular Social Democrata (PPSD)
023 - Partido Unido do Povo (PUP)
024 - Partido Liberal Democrático para Solidariedade Angolana (PLDSA)
025 - Frente Unida de Salvação de Angola (FUSA)
026 - Aliança Democrática Trabalhista de Angola (ADTA)
027 - Congresso Nacional Angolano (CNA)028 - Partido Comunista Renovador Angolano (PCRA)
029 - Partido Progressista Democrático de Angola (PPDA)

Fonte: Pensar e Falar Angola

quinta-feira, 20 de março de 2008

Páscoa Feliz a todos

Enquanto houver amizade

Pode ser que um dia deixemos de nos falar.
Mas enquanto houver amizade, faremos as pazes de novo.

Pode ser que um dia o tempo passe.
Mas se a amizade permanecer, um do outro ha de se lembrar.

Pode ser que um dia nos afastemos
Mas se formos amigos de verdade a amizade nos reaproximará

Pode ser que um dia não mais existamos
Mas se ainda sobrar amizade nasceremos de novo, um para o outro

Pode ser que um dia tudo acabe
Mas com a amizade construiremos tudo novamente
cada vez de forma difrente sendo unico e inesquecivel
cada momento que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.
Há duas coisas para viver sua vida.
Uma é que nao existe milagres
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre


PS: Poema enviado via e-mail pela amiga Adilia Silva
Foto Tirada durante o "FestiNamibe 2005" no Parque de Campismo na maginal da cidade do Namibe

REGRAS SÃO REGRAS!?

Um casal recém-casado vai viver para a sua nova casa e o rapaz diz:- Se queres viver comigo as minhas regras são as seguintes:

1). Às 2ªs feiras à noite vou tomar umas birras com meus amigos;
2). Às 3ªs à noite vou a Ponta da Restinga curtir;
3). Às 4.ªs vou ao cinema com o pessoal;
4). Às 5ªs, às 6ªs e sábados vou tomar umas birras e curto uma discoteca com os meus amigos.
5). Portanto, aos domingos deito-me cedo porque preciso de descansar. – E o jovem finaliza – Se queres, queres… Se não queres, eu “mando lixar!”


Ao que a rapariga responde: Para mim só existe uma regra: Cá em casa todas as noites há (fazer) sexo; Quem está, está… Quem não está, eu “mando lixar!”

Ps: Enviei por e-mails aos amigos em 2004

Um abraço a todos
Eu

quarta-feira, 12 de março de 2008

Humor: "Diploma"

Um velho fazendeiro (do Uíge) está em sua sala, proseando com um amigo, quando um menino passa correndo por ali. Ele chama:

- Diploma, vai falar para sua avó trazer um cafezinho aqui pra visita!

E o amigo estranha:

- Mas que nome engraçado tem esse menino!!! É seu parente??- É meu neto! Eu chamo ele assim porque mandei minha filha estudar em Luanda e ela voltou com ele.


(Recebida por e-mail)

quarta-feira, 5 de março de 2008

Lugar da Mulher é na cozinha? Porquê importar-se com o género? (Arquivo)

Há pouco menos de uma década, “o género” não fazia parte dos debates. A mulher era o foco de políticas ou programas virados à diminuição das desigualdades entre os sexos. Hoje, o paradigma mudou. Termos como “Saúde da mulher” foram substituídos por “saúde familiar”. As quotas para o acesso da mulher na política, no mundo académico e no comércio privado vêm sendo substituídas por políticas regulares de género.
Porquê pular de “mulheres” para “género”? Talvez estejamos a aprender que a desigualdade no género não é apenas um assunto feminino. Apercebemo-nos de que não se pode excluir os homens das oportunidades de micro-crédito sem causar ressentimentos, às vezes até violência, no lar. Os programas de saúde reprodutiva têm menos impacto se apenas metade da população é abrangida, e as mulheres – e não os casais – se encarregarem de tomar de forma isolada as decisões de planeamento familiar. Aumentar o número de mulheres no parlamento pelo critério de percentagens preestabelecidas, sem que haja uma mudança real de atitude, poderia aumentar a sua presença política, mas não o poder político.

Ademais, estamos a perceber que os estereótipos no género não são só prejudiciais para as mulheres, mas também aos homens. A noção de “trabalho feminino” restringe os homens de certas profissões. A pressão de ser o motor do “ganha-pão” limita nos homens a oportunidade de gastar mais tempo com os seus filhos. E a atitude de que “um homem nunca chora” força o homem a esconder as suas emoções, o que é um risco à saúde.

Finalmente, a sociedade no geral sofre os efeitos das desigualdades no género. As crianças têm mais saúde quando as mães têm educação formal. As sociedades são mais produtivas quando 50 por cento dos seus recursos humanos dão o máximo do seu potencial.

Com vista à trabalhar em prol de um mundo em que o homens e as mulheres têm oportunidades iguais, devemos identificar os estereótipos, entender como eles afectam as nossas vidas e reflectir sobre as suas origens. O que é desigualdade no género, como afecta as nossas vidas e sociedades, e como podemos minimizá-los?

Estava eu diante de um grupo de 15 mulheres angolanas e pensei: “o que é que estou aqui a fazer?”. Tinha entrado em Angola havia poucas semanas, o meu português era “péssimo”, e sabia muito pouco sobre a cultura. Ainda assim, encontrava-me a dar um workshop a mulheres rurais sobre “os estereótipos no género”.

Será que se importariam com o que eu iria dizer? Sairiam com o poder reforçado ou mais confusas? Para provocar a discussão, mostrei desenhos de um homem lavando a loiça e dando de comer um bebé e uma mulher reparando um carro e dando comícios políticos. Elas deram gargalhadas e disseram que era impossível – que o desenho não correspondia com a realidade. E quando perguntei porquê, houve silêncio na sala. “Quem decidiu que o homem devia fazer isso, e a mulher aquilo?”, perguntei, e de novo, silêncio. Na verdade, ninguém conhece a origem dos estereótipos. Serão biológicos e depois perpetuados pela cultura? Se for assim, até que ponto?

Os estereótipos no género limitam directamente as nossas oportunidades devido à discriminação. Porém, mais importante ainda, limitam as nossas ambições, autoconfiança e habilidade de sonhar um pouco mais sobre o futuro de cada um. Como podemos mudar os preconceitos sobre a relação entre o homem e a mulher se são biológicas, ou tão imbuídos na nossa cultura e perpetuamos por todos nós. Mas será que podem também às vezes ser positivos?

Muitas vezes questiono o meu papel na promoção da igualdade no género. Numa conferência juvenil sobre os estereótipos no Paraguai rural, um jovem rapaz me disse: “o teu sistema aqui não funcionaria. Os homens e as mulheres precisam ter diferentes responsabilidades para que a vida doméstica ande mais amenamente”. Será que os movimentos pró igualdade no género deviam ser mais endógenos (desenvolvidos dentro da cultura)? Caso não, como podem os agentes externos gerar mudança? Até que ponto a cultural pode justificar as desigualdades no género?
........................
(*) Traducão do artigo “Make your voice heard” (de Elizabeth Coombs, EUA, elicoombs@yahoo.com) , publicado no site da ONU para os assuntos sociais. Títulos, Boletim "A Voz do Olho", Projecto informativo, educativo e cultural da AJS e amigos; Foto: (menina do biópio batendo funji) por Gociante Patissa

terça-feira, 4 de março de 2008

Dei mais um passo

Desafiando os pés trémulos,
Dum tremor profundo, porque vem do coração,
Ou soberano, talvez, porque a ordem caiu do cérebro,
Dei mais um passo.

As nuvens andam cinzentas
à cor dos meus olhos ansiosos,
(Não é escuridão das chuvas,
Que quando fogem deixam saudades,
E quando vêm dão maçada)
É da ansiedade, da insegurança, que a tudo escurece

Esperar é um caminho espinhoso,
Quando são indefinidas as metas.
Também sei que bravura não é ir nadando ao mar,
Mas relaxar no momento de regressar.

Atiro-me, porém, à entrada procurando saída
(Quero lá saber se não são minhas as chaves?!)

O eufemismo colectivo choveu
nos recados e suspiros de amigos...
E lembraram-me que também consigo,
lembraram-me que o momento é sempre certo,
para quem se esforça e tem vontade!
Não pouparam oportunidades,
apanharam-me sem roupas, às vezes,
e incisivamente se instalaram.

Não consegui mais continuar a esconder a lavra.
Quando podia ter dito "não",
Eis que disse "sim",
Porque quero, porque também acredito.
Está agora a meio passo de ser pública
a logística com mais de doze anos...
E, com estas mãos, traçarei com orgulho
cada linha da minha marca -

A não ser que o mosaico todo não mereça...!

Gociante Patissa