PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Curiosidades e memórias da AJS (15) | BOLETIM DA CULTURA E DA CIDADANIA VAI PARAR OUTRA VEZ

Tudo indica que, no final deste ano, este Boletim informativo [designação modesta para o nosso jornal institucional] enfrentará mais uma pausa indeterminada, ainda, imposta pela inexistência de recursos para a sua reprodução. Como vem já sendo anunciado em edições anteriores, aproxima-se o mês de Dezembro, que marca o período de férias da equipa dos projectos “Viver Contra a Sida-3, Cidadania e Saúde Preventiva”, e do “Palmas da Paz”, financiados pelo Programa das nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e pela Embaixada Americana, respectivamente.

Vai deixar saudades ao vasto público leitor e amigo deste veículo que dá ressonância à cidadania e à promoção cultural. Mas vai também, a sua ausência anunciada, transtornar de certo modo a equipa envolvida na sua edição, a mesma que tem dado a sua prestação de forma voluntária, incentivada que está pelo sentimento de dever enquanto cidadãos, filhos desta Angola e ainda pelo amor às tecnologias de informação e comunicação. Em Fevereiro último marcávamos o nosso regresso. E a chamada de capa não podia ser mais oportuna: “Estamos de Volta”, na qual, embora omisso, o ponto de exclamação era bem evidente. Tínhamos vencido os seis meses de interregno, forçado pela necessidade de aumentar a tiragem, melhorar o aspecto e formalizar o Boletim “A Voz do Olho” junto do Ministério da Comunicação Social, iniciando, obviamente, pela Direcção provincial.

"A Voz do Olho" é um humilde jornal de voluntários, que usa técnicas simples e mensalmente distribuído grátis. Na verdade, a ideia do seu surgimento, em 2005, foi, precisamente, facilitar de forma gratuita para os cidadãos o acesso à informação e dar espaço à nossa cultura através da divulgação de obras, eventos e contos (uma vez que os jornais não estão ao alcance de todos).

Um trio de amigos ligados à AJS (Associação Juvenil para a Solidariedade), com sede no bairro da Santa Cruz, no Lobito, [formado por Livulo Prata, Gociante Patissa e o Júlio Lofa] lançou então, de Janeiro a Junho de 2006, a fase experimental, com folhas agrafadas no formato A4, contando com o patrocínio do jovem Lázaro Bernardo Dalas. De seguida, “adoptados” pela AJS passamos ao actual formato, numa evidente melhoria, embora ainda não satisfaça o que equipa editora almeja.
A Coordenação Executiva da AJS anda há bastante compenetrada em identificar apoios e doações para não pararmos.
AJS – “Humildade, Justiça e Solidariedade”
In Boletim “A Voz do Olho” (AV-O), Ano 1, Edição N.º 9, Outubro de 2007

Sem comentários: