PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

sábado, 11 de outubro de 2014

da "Cultura e actos identitários na música

No meu raciocínio cultural modesto, defendo que é aceitável que uma mulher mumuíla, do sul de Angola, desfile num palco cultural de seios à amostra, semi-nua como é sua tradição; mas já não é admissível que um jovem angolano leve para um palco nacional de cultura, as suas nádegas despidas, ou semi-despidas com boxers coloridas ou negras, imitando uma moda frívola, que até não acrescenta à estética, ao conforto do caminhar, e muito menos à dança. Este mau exemplo nascido do além, é mesmo um acto degradante que deve ser repudiado, sobretudo quando o «utilizador» lhe dá um uso exagerado como aconteceu em Malange com a referida dupla [NGA e Dji Tafinha]. Ademais, a moda foi criada como chamativo, pouco salubre sexualmente falando, não podendo por isso ser tido como um exercício respeitável a sua imitação. (...) Aliás, tal como o fez Yannick Afroman, rapper, com sua correcta indumentária, não custa nada exibir a decência e a estética artística, que seja de bom acolhimento por parte do público que nos assiste.
– António Venâncio, articulista, in Semanário Angolense, pág. 30. Luanda, 11 de Outubro de 2014

Sem comentários: