PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

‘Benguela Gentes e Músicas’ despede-se em grande| «DESCOBRIMOS DEZ BONS TALENTOS», diz Adão filipe

Texto e foto: Gociante Patissa
A gala do primeiro aniversário do «Benguela Gentes e Músicas», que teve lugar no Cine Kalunga a 27/09, marcou também a grande final do concurso e o encerramento da primeira temporada daquela iniciativa da Rádio Nacional de Angola (RNA), visando a descoberta e o encaminhamento de novos talentos.

Enquanto durou, registou-se um grosso de 300 candidatos de diversos municípios da província de Benguela, dos quais 30 foram apurados, na ordem de dez por edição. Seguiu-se uma breve formação teórica, pois para alguns era a primeira oportunidade em termos profissionais. Para o êxito na execução dos temas, entre inéditos e rapsódia, podendo ser da autoria dos concorrentes ou cedidos, a Rádio Benguela adoptou um grupo musical local já consistente e que se passou a chamar ‘Banda FM’.

«Hoje, temos a felicidade de dizer que descobrimos dez bons talentos que têm condições para poder seguir a carreira artística», gaba o mentor do projecto, o jornalista, compositor e produtor Adão Filipe, que é também o director da Rádio.

A gala final contou com dez concorrentes, sendo três finalistas da primeira edição, quatro da segunda e quatro da terceira, respectivamente, estreantes que tiveram o privilégio de partilhar o palco com estrelas internacionais.


«O mais importante é o facto de termos tido o patrocínio de artistas muito importantes, desde o Bonga, Waldemar Bastos, Yuri da Cunha, Margareth do Rosário, Kueno Ayonda, Jorge Neto, Kyaku Kyadaff, Roger, Ricardo Lemvo a Dodó Miranda, portanto, pessoas que aceitaram o nosso convite e, de forma muito desinteressada, vieram aqui porque perceberam que é preciso criar fomento artístico e cultural», salienta o mentor.

Algum burburinho levantou da plateia, não pela classificação, mas pela exiguidade do valor pecuniário anunciado no cheque simbólico de cada premiado, sendo em kwanzas 350 mil para o primeiro, 250 mil para o segundo e 150 mil para o terceiro classificados. 

«Tivemos essa conversa com os concorrentes. Há uma ideia muito material hoje em dia, a de que o vencedor tem que receber um carro, um apartamento. Essa é a necessidade da maior parte das pessoas, mas nós não podemos ir por este segmento. O nosso objectivo é criar condições para que o artista que a gente forja aqui, na Rádio Benguela, tenha condições para seguir a sua carreira.», tranquilizou o mentor.

Segundo Adão filipe, o promissor Frederico Tiago, que vence a grande final depois de já ter arrebatado a segunda edição, tem assegurada a produção integral do seu álbum, orçado em USD 35 mil. «Queremos garantir que o vencedor desta edição, para além de tudo o que de material ele possa receber, vai ter uma obra bem produzia, um disco cujos rendimentos sejam seus, vai ter um acompanhamento da sua carreira.»
Os organizadores falam em uma pausa apenas no prestigiante «Benguela Gentes e Músicas», para regressar com novo formato, num tempo não precisado, mas o cepticismo é evidente da parte de quem aspirava realizar o sonho de ser cantor.

Sem comentários: