PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

sábado, 28 de março de 2015

Incêndio "mata" edifício histórico em Benguela

A primeira foto ilustra o que sobrou, se é que assim se pode dizer, do edifício denominado "Cabo Submarino", um património histórico situado na cidade de Benguela, aonde até agora funcionavam as direcções provinciais da Cultura e do Ministério da Família e Promoção da Mulher. As causas da tragédia que ocorreu ma manhã de hoje estão por apurar, mas o curto-circuito é para já a suspeita mais próxima. O que de qualquer dos modos está à vista é que tudo o que no interior se encontrava converteu-se em cinzas, sejam documentos, sejam recursos. Há movimento interno no sentido de construir uma réplica. Há vontade política também, é o que apurei de fonte do topo na governação provincial e já confirmado pelo Director da Cultura, Mário Kajibanga.
«Edifício da ex-Companhia do Cabo Submarino – este edifício de ferro e madeira chegou desmontado a Benguela, vindo da Inglaterra. No princípio do século XIX constituía a via privilegiada das telecomunicações, unindo Londres a Cape Town. Foi em 1889 que lançaram os cabos telegráficos pela costa ocidental africana. A West African Telegraph Company, na cidade do Cabo, ficou ligada ao Namibe, a Benguela e a Luanda. Quatro anos depois o cabo dava literalmente a volta ao mundo, revolucionando as comunicações. Mais tarde funcionou a Escola Alemã. É um Monumento Histórico Nacional, classificado.» (fonte: website "Destino Benguela")

Sem comentários: