PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

segunda-feira, 30 de março de 2015

Diário | Da sede do agente à sociologia na via

a bordo do "quadradinho", táxi mini-autocarro entre Benguela e Lobito, citando de memória)

Motorista (aprox. 30 anos):"Wei! Estás a ver aquele wi? Tem banco de quatro!"

Cobrador (aprox. 25): "Esse madiê que nos cruzamos agora?"

Motorista: "Ya. O wi está numa. Vamos passar lá no mestre para adaptar o nosso mambo também."

Cobrador: "Mas o wi bumba mesmo bem o salo?"

Motorista: "Ya. Quatro páx cada mambo, um gajo fecha mesmo bem. Agora, só três é malaike."

Passageira (terceiro banco, aprox. 30 anos, apaixonada pela sua própria voz): "Isso então tá errado, oh gerente. Num está ver mesmo como vamos apertados? Ainda querem mais apertar?"

Motorista: "Minha mamoite, esse um passageiro a mais em cada banco então que nós vamos ir aumentar é já a contar com a água do polícia. Porque, estás a ver, o agente, na via e com sol, também tem sede."

Passageira: "E vocês para sensibilizar o polícia vão fazer sofrer os passageiros, uns se empurram com outros? A pessoa chega em casa a cheirar cheiro do outro. A pessoa paga, mas anda a sofrer, ainda qualquer dia apanha só doença. Com essas chuvas que andam aí."

Motorista: "Ya, morrer agora está fácil. Muita SIDA, marburg, cólera, muita ébola, né? Mas essas aqui não chegam mais. Deus mesmo também já sabe que morremos muito na guerra. Até não sei se um país do mundo viu o que nós vimos. Só que doença não se apanha só no Táxi."

Passageira: "Eu sei. Mas vocês não podem apertar as pessoas tipo animais."

Motorista: "Mamoite, aqui no táxi somos família. Nós, assim, que batalhamos na vida, temos que ser mais unidos. Senão, ainda vais receber feitiço para ficar rica hahaha. Você não pode ter estranho. Então se o teu marido tem SIDA, você vai-lhe fugir?"

Passageira: "Não, não vou-lhe fugir. Isso não! Também já não recebo feitiço, o único feitiço é o meu Deus. A bíblia já disse ame o teu irmão, na saúde ou na doença. Só que, se a polícia já falou que é três passageiros num banco, como é que vais dizer mais que vais no mestre adaptar para levar quatro?"

Motorista: "Mas, é assim, minha mana. Estou mesmo a gostar do que estás a falar, até estás abençoar a viagem. Mas não vai mudar nada."

Passageira: "E agora se você se encontrar com um polícia que não recebe corrupção e já lotaste demais? Vais comer uma multa e te estraga o dia."

Motorista: "Te duvido, minha mana! Na via é preciso saber. O próprio agente mesmo já vai entender que, para garantir a parte dele, também não vou mais retirar da conta diária do patrão. Não é isso, wi?"

Cobrador: "É isso, papoite."

Recolha de Gociante Patissa, 30.03.2015

PS: Depois de ler, pode ajudar a resumir para os nossos amigos que não dominem o calão nem as figurações do contexto.

Sem comentários: