PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

sábado, 1 de abril de 2017

Crónica | Bem é pouco

A minha rua sabe colorir-se a preceito dos modernos ventos à angolana, ou seja, é barulhenta. Não é bem minha e nem sei mesmo se é rua. Talvez tenha nome, já até ouvi falar de um, desses pomposos que ficam bem no documento. É uma rua de rostos socialmente bem colocados, entidades umas e outras. Pouco se ganha com isso, entretanto, na vertente cidadã do culto ao silêncio, tão imprescindível ao retempero de energias, à leitura e à paz dos níveis tensionais. Há sempre música alta, à noite, por vezes às altas horas. O Karaoke é sofrível, mas, mas, mas, e quem se manifesta contra? Deixa lá o outro fazer o negócio dele. Ninguém o diz como tal, é como se o dissessem. Se nem a polícia se importa com o caos nisso de poluição sonora, né?... E não é tudo. Se a cantina, uma e outra, para fidelizar etílicas gargantas assim o exigir, venham a nós os berrantes altifalantes. Cai Rap, palavrões na ementa, cu-duro, sobe o volume, sobe mais. Convivência é que é o quê?! Mas gosto mais dos ais e gooolos, e porras, assobios, cantares a benfica, a real, a barça, filha da puta, pá!, do árbitro. Marca, ó burro! A baliza mesmo é ali, e você faz esta porcaria?! E vai, segundo tempo, prolongamento, desconto. Até que, por fim, a êxtase morre e aterramos ao sem chão colectivo. Felizes da vida no caminho de volta à casa, a qual não cativa de quente e apagada, toca a acender as lanternas do telefone para ver onde pisar. Aqui chove mesmo depois de a chuva cessar. Houvesse semente de arroz... Ontem postes de iluminação pública, hoje múmia é favor. Lixo rente com saudades do contentor, leveda em águas vãs, o renovar do imundo e dos medicamentos em vias de faltar algures num banco de urgência. Mas a rua, se é que o é, no recato de muro a muro, do lacónico bom dia, por vezes vultos de cães de raça lavados e bronzeados ao portão, até já faz figas para que chegue a noite e se agigante num abstraído barulho. O de costume. Geradores veteranos. Goooolo! Viva CR7. Ronaldo, não! Viva o Messi. É bom que a equipa não perca, isto é alta competição. Até esse burro do defesa deviam lhe transferir só, mete muita água. Têm que saber que somos hipertensos, e a noite de derrota é perigosa. Tudo menos derrota. Temos que organizar passeata também, como os demais no centro da city. Por cá corre-nos a vida muito bem, obrigado. Correcção: bem é pouco. Ainda era só isso. Obrigado.
Gociante Patissa, Benguela, 01.04.2017

Sem comentários: