PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Diário| Um caminho perigoso do fazer artístico angolano, o populismo no lugar do método

Anfitrião: "E este teu CD [audio-book de auto-ajuda] como é que tem sido recebido pela crítica?"

Convidado: "Olha, eu acho que as pessoas não estão preocupadas com a crítica, as pessoas querem é o que lhes faz bem." (In «Hora Quente», TPA-2, na semana passada)

Ou seja, voltamos ao velho debate de arte por arte, de reinventar a roda, no sentido de "que se lixe" o rigor, a estética, a consistência, conquanto o povo, a maioria, adira ao produto. Lembrei-me de uma citação que em tempos ouvi um vedeta da nossa música citar, segundo a qual "quando um artista deixa de ouvir a sua intuição para se dedicar ao que o público pede, ele passa de artista a comerciante. E o comerciante pode ser honesto ou desonesto."

Sem comentários: