PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

FRAGMENTOS DA CANÇÃO “ONGONGO” (sofrimento), DE VIÑI-VIÑI (alcunha que significa na língua Umbundu etc., etc.)

“A kamba lyange/ota!/  tupapaleko” (Oh, meu amigo, vamos ao menos divertir-nos)
“Ame/ pwãi/ tê ndalikapako komanu” (Eu tenho de valorizar as relações humanas)
“Halivolela” (O meu corpo está destinado a apodrecer)
“Eteke ndifa /ame / halivolela” (Quando eu morrer, tudo apodrece)
“Nda ndakaile okambisi” (Se eu fosse um peixe)
“ Nda wamiñako” (consolar-te-ia a possibilidade de reforçar a tua refeição)
“Nda ndakaile ongombe” (Se eu fosse um boi)
“Nda watyulako” (um pedacinho do meu corpo ao menos aproveitarias)
“Eteke ndifa /ame / halivolela” (Quando eu morrer, tudo apodrece)
“Unyamo wumwe/ ndamwinle owima” (Houve um ano em que vi azar)
“Ame handi sa file” (Eu não tinha morrido ainda)
“Omunu okupita Olisiyala” (Mas alguém, ao passar por mim, cuspia de escárnio)
“Ndalehã ongongo/ weh/ Ndalehã ongongo” (Eu cheirava a sofrimento/ oh/ cheirava a sofrimento)
“Oco / pwãi/ tê ndalikapako komanu” (Por isso, eu tenho de valorizar as relações humanas)
“Halivolela” (O meu corpo está destinado a apodrecer)
“Eteke ndifa /ame / halivolela” (Quando eu morrer, tudo apodrece)

Sem comentários: