PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Crónica| O sindicalista

Vejo-o passar, ainda hoje durante as horas vagas dos meus olhos, naquele jeito seu quase caricatural, quarenta e alguns aniversários, calças largas - por talvez lhe faltarem trocos para o alfaiate, profissão cada vez mais rara por cá. Andava de cima a baixo, seus sapatos - deformados, de tão experientes - parecendo terem a sola feita de pó. Em mãos, um monte de papéis pouco dados à harmonia, pois bastava um pouco de vento para se meterem a voar. Parecia empenhado em constituir o núcleo sindical, não deixando de soar estranha a insistência no encontro com o patrão e as visitas às horas próximas ao refeitório. Falava da Lei (geral do trabalho), aquele amontoado de artigos entre a autoridade e boas intenções que, de tão geral, nada podia contra despedimentos arbitrários onde qualquer greve evolui para ilegal logo que comece. E no fim desta, a selectiva vassourada. Ainda o vejo, tantos anos passados, de bigode farto, peito erecto, mas já sem tanta graça, direi. Sapatos quadrados, briefcase e até um carrito de quarta mão... da mesma marca, modelo e série que outros cedidos por abate pelo patronato. Qualquer percentagem, tanto não anula, como é sempre mais proveitosa que o um porcento cascado ao proletariado. Como dizia um memorável instrutor, "as instituições não existem senão em função das pessoas que as representam." Viva o sindicato!

Gociante Patissa, Benguela 29.09.14

Sem comentários: