PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Diário | Mais inteligente do que boa

À questão da repórter do programa «Flash» (TPA2) a diversos convivas de um evento que tem como cartaz uma das nossas efémeras estrelas da música electrónica, nasce uma resposta a contra-corrente. «Você é boa?», indaga a repórter, para a imensidão de manifestações de egos, com o lado sensual a predominar. Sou boa, sou gostosa, e todos aqueles adjectivos de apelo ao sexual enchem os pôros do microfone em mais um dos costumeiros tempos de antena que aquele canal público dedica ao culto à futilidade. Até que surge, todavia, uma moça que, inicialmente reticente, diz muito liminarmente: «sou mais inteligente do que boa!» Ora, se do ponto de vista das boas maneiras a nossa sociedade convencionou que fica mal sairmos por ali a nos gabarmos pelas nossas vantagens e atributos, sejam eles internos ou superficiais, os interlocutores «pecaram» todos por advogarem em benefício próprio. Podíamos dizer que a formulação da pergunta em si representou uma espécie de armadilha ao carácter e à moral. Seja como for, é de elogiar que aquela moça tenha tido a coragem de sair um pouco do cliché. Destacar-se pela inteligência parece ser de longe muito mais dignificante, libertador, sustentável e construtivo para a mulher do que esta tendência (mercantilista) de ver o valor da pessoa a partir do volume dos glúteos, grossura dos membros inferiores e do par de almofadas na parte exterior do tórax. Definitivamente, eu voto em «mais inteligente do que boa»

Sem comentários: