quinta-feira, 14 de junho de 2018

Diário | Assaltar os outros também não é assim, Ok?!

"Boa tarde, menina, tudo bem por aqui?"
"Boa tarde, senhor. Tá tudo, obrigada. E você?"
"É como diz o nosso povo: já dá..."
"Ok."
"A política do funji aqui neste estabelecimento de restauração é precisamente como?"
"É só servir. É buffet. Self-service. A peso."
(...)
"Hoko! Mas espera aí: esse bocadinho custa isso tudo?!"
"Como assim?! Não entendo..."
"Vocês desculpem-me lá, pá! Assaltar os outros também não é assim, Ok?!"
"Ó senhor! Senhoooor! Vai aonde? Volte aqui, senhor! Isso não é meu azar?... Não pode abandonar o prato na balança, sem pagar!"
"Esse vosso prato pesa muito, demais, pá! Qualquer dia terei de trazer pratos da minha casa, ouviu?..."
"O senhor tem que pagar o que serviu..."
"Me viste a comer? A pessoa vai pagar o que não consumiu? Onde já se viu isso, hã?!"
"Mesmo assim, senhor."
"Ó menina, mas assim meio prato de funji, um peixito desdenhoso e molho de tomate é que vou pagar a dois mil e quinhentos kwanzas?! Vocês pensam que o meu dinheiro fermenta ou quê?!"
"É o peso, senhor, nada a ver..."
"Aié?! Quer dizer que o vosso milho tinha chumbo ou aço, não é?!"
"Senhor, não vamos só discutir. Cliente serve e paga."
"Minha senhora, esses vossos restaurantes que são feitos só a pensar no estrangeiro, assim não dá. Por acaso, vocês costumam ver mais a vossa sala cheia de engenheiros de obras como antigamente?"
"Não é por aí senhor... Isso vai ter que reclamar com os gerentes..."
"É sempre assim. Em Angola a gastronomia dá pouco espaço aos pratos típicos. Não falta muito, os nossos patrões chineses vão dominar o negócio, vão ver só..."
"As pessoas também geralmente não comem funji do restaurante, tipo preferem de casa..."
"Até te daria razão. Mas você acha normal o critério do peso? Então o pirão tradicional (que é só mesm água quente, farinha de milho) vai custar mais caro que o bife, o peixe, e por aí fora?"
"Hum..."
"Abre o olho, filha. Então se o kilo de fuba é duzentos kwanzas, o tomate é duzentos, o peixe caxuxuo é trezentos, vocês não acham que estão a furar o bolso do pacato cidadão com estes vossos preços de dois e meio, ah porque é balança?!"
"Então vamos fazer mais como?"
"Custa estabelecer preço fixo para o funji, tipo assim um pratinho a trezentos kwanzas?!"

www.angodebates.blogspot.com | Gociante Patissa | Catumbela, 14.06.2018
Share:

0 Deixe o seu comentário:

Vídeo | Gociante Patissa, escritor na 2ª FLIPELÔ 2018, Bahia. Entrevista pelo poeta Salgado Maranhão

Vídeo | Sexto Sentido TV Zimbo com o escritor Gociante Patissa, 2015

Vídeo | Gociante Patissa fala Umbundu no final da entrevista à TV Zimbo programa Fair Play 2014

Vídeo | Entrevista no programa Hora Quente, TPA2, com o escritor Gociante Patissa

Vídeo | Lançamento do livro A ÚLTIMA OUVINTE,2010

Vídeo | Gociante Patissa entrevistado pela TPA sobre Consulado do Vazio, 2009

Publicações arquivadas