PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Diário | Assim o meu voto é que não vale?!

(I)
“Pai, há uma visita que quer falar o pai. Vem da minha parte…”
“Filha! A visita não tinha uma hora melhor para vir?! São 20 horas, pá! Vai começar o espaço de antena na campanha, um gajo quer acompanhar bem as propostas de governo de cada partido. Ainda não viste que estamos naquela fase em que todo o mundo é TPA?"
"Mas ó pai!…”
“Filha, apreendam a alfabetizar politicamente os vossos amigos!”
“Fica só fanático com os partidos, vais acabar sozinho no teu funeral. Quero ver depois do dia 23 qual é o candidato que te vai procurar, a ponto de desprezar visitas…”
“Pronto, manda entrar. Você saiu a boca da tua avó. Controladora esta miúda, pa!…”

(II)
“Boa noite, senhor…”
“Senhor, quando não está no céu, tem guardas, carros e aviões pessoais. Me trata só já por pai, ou não vens por causa da minha filha primogénita? Pode ir directo ao assunto.”
“Eu venho a mando do amor. A vossa filha disse que não conversa com homem que não é conhecido em casa. Então como lhe gosto muito, venho…”
“Isso chama-se educação de berço, meu rapaz. Não me gabo. Aqui educa-se…”
“Sei que a juventude é mal falada, mas sou sincero. Por isso conto com o apoio do pai.”
“Apoio. Sim senhora. Estamos mesmo na tal época. Por falar nisso, vai votar aonde?”
“No meu bairro…”
“Não sejas tonto, filho. Vota no partido qual? Pronto, já sei. Você é estrelado. Mas isso não surpreende. Porque, te falo mesmo, meu filho: quando o bebé nasce, naquele momento mesmo que está a chorar ‘kwim, kwim, kwam, kam’, é da OPA. Estás a ver né? Quando a barba começa a aparecer, voz tipo comeu esferovite, ou nas miúdas aquelas maminhas e período, é quê? É da Jota! OMA. Estás a acompanhar, né? Que idade tem?”
“Tenho 28. Mas na verdade, ainda não escolhi…”
“Como não?! Pensas que sou burro, né? Quem fala assim, é porque é do partido da cabidela. Mas também, te falo como amigo, não está mal. Os grandes são assim mesmo. Maquis contra Muangai. Tudo nacionalista. Concluindo, o voto é galo, certo?…”
“Também não, pai…”
“Ah, o filho é feneloso, aliás vota Fnla?”
“Bem, quer dizer, também não é mais ou menos por ali…”
“Então vota federalismo, falo pereiésse?”
“Ora…”
“Sendo assim, estou a ver que ou entra em Casa ou está com o marginal…”
“Marginal? Não entendi…"
“Eu lhe chamo só já assim dada a ideia de montar marginal de Luanda a Malanji. Apn.”
“Por acaso também não…”
“Isso é grave, rapaz! Indecisos e duvidosos, como o Tomé da bíblia, é perigo. E falo mais! Na vida, a pessoa tem que tomar posições. Quem está sempre bem com todos é traidor.”
“Estou a tentar dizer que não posso revelar em quem votar, que o voto é secreto…”
“Mas que falta de respeito é essa?! Então você vem pedir o meu voto para namorar a minha filha, e agora diz que o voto é secreto?! Assim o meu voto é que não vale?! Acha que é o único pretendente que me procurou?! Secreto, secreto, hum! Sai só daqui, ouviu?”

www.angodebates.blogspot.com | Gociante Patissa | Benguela, 26.07.2017

Sem comentários: