PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

domingo, 14 de fevereiro de 2016

[arquivo] Crónica | Lavar a árvore

Rua nua, viu-se, até fechar o portão. Escuro, bem escuro, como ficam os bairros de gema anárquica e que já só com o luar podem contar. Por sua vez, como também preza a saúde, foi a poeira às toneladas alojar-se nos esguios galhos da árvore do meu quintal, de poeira tingida. Há água na torneira, finalmente, como sempre, só de noite, como se fugisse do sol de sanzala, ausências mais do que presenças, a mesma cobrança no final do mês. Menos pouco para meia-noite. Não guardes para amanhã o que hoje podes fazer. Mas o quê? Jactos de água com a mangueira, para devolver o verde às folhas da árvore, do lado de fora do quintal plantada. Do nada, qual fantasma, ouve-se um masculino protesto: “não, meu kota, assim também, não!” Que protesto mais fora de hora! “Agora que há água, estou a lavar a árvore. Aqui acumula-se muita poeira”. E segue o protesto apócrifo: “Está a nos molhar”. Caramba! “Vai você lavar a árvore?”. Até porque, eu cá não sei porquê, ou talvez por não existir senão no urgente improviso das libidos, por acaso não me lembrava da inscrição "árvore para todos; sombraria de dia, namoradoria de noite". Ouve-se qualquer coisa de insulto e a voz desaparece. Já sei que me resta recolher pela manhã cacos de preservativos ou desses afrodisíacos chineses. E não é que tenha algo contra o dia dos namorados.
GP. 14 Fevereiro 2014
www.angodebates.blogspot.com

Sem comentários: