PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Portal Pérola das Acácias distingue personalidades de 2015 | «Gociante Patissa, escritor de mão cheia é a figura do ano na literatura»


Gociante Patissa, Benguelense, 37 anos, formado em linguística inglesa, jornalista, amante da fotografia, tradutor em fim um homem multifacético. Está não é apenas uma biografia e nem mesmo um texto do Wikipédia. Falaremos mesmo é da capacidade desse autor em descrever assuntos do quotidiano e construir histórias intrigantes.

Em 2015 veio confirmar que é mesmo um escritor de mão cheia, numa província com tradição na literatura angolana, mas que com o tempo vai perdendo o fôlego. A nova vaga parece longe de estar à altura do legado dos grandes escritores originários de Benguela como: Pepetela, Alda Lara, Raúl David, Ernesto Lara Filho, Frederico Ningi, e tantos os outros que sãos os ícones maiores da literatura do nosso país. Gociante Patissa é um dos pouco, da nova geração que tem sabido manter à mística da tradição na criação literária em Benguela.
Em 2015 voltou a brindar o publico com mais uma obra: O apito que não se ouviu. Um livro de crónicas que visou homenagear um amigo seu agente da policia de transito, que perdeu a vida no cumprimento do seu dever.

Gociante Patissa ou simplesmente Patissa, é conhecido e credenciado por suas crónicas, que são, em sua maioria, publicadas no seu blogue. Discorrer sobre assuntos corriqueiros é uma especialidade desse sujeito que, mesclando humor e ironia, aborda com destreza assuntos mais delicados. Ele é aquele tipo de escritor que nos faz rir escrevendo sobre assuntos mais sérios, e ao mesmo tempo nos faz olhar com mais seriedade assuntos ditos simples.  Uma das características que chama atenção no escritor é a simplicidade com a qual escreve seus textos. Apesar de renomado e ter já alguma experiência na estrada literária, Patissa não usa de um vocabulário muito rebuscado em suas composições, facilitando assim sua leitura com um desenvolvimento mais fluente; sua escrita é simples, porém não simplista. Esta é “Nossa personalidade escolhida” para escritor do ano.

Que venham mais livros, Benguela e o país precisa de si. Bem haja escritor Gociante Patissa.
--------------------------
Nota do Blog Angodebates: 
O exercício é da inteira responsabilidade do site Pérola das Acácias, que distinguiu, para balanço do ano 2015, aqui o operário das palavras e o lançamento do livro de crónicas «O Apito Que Não Se Ouviu». Confesso que foi inevitável a reacção de estranheza, vindo a menção de um projecto de profissionais com os quais mantenho relações cordiais, mas o conforto mora na noção de ter sido uma surpresa e não propriamente fruto de alguma competição. Como diz um personagem meu, «NÓS AQUI SÓ TEMOS UM LEMA: O NOSSO TRABALHO É TRABALHAR!» GP

Sem comentários: