PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Nota Solta | Um registo coloquial que só descamba

Assim só de passagem, fica aqui o meu "enjoo" pelo seguidismo e modismo e também sexismo reinantes (ainda por cima rascas) na composição musical e, de um modo geral, nos programas de entretenimento (media). Excelências, se é que ainda não deram conta disso, já usaram demais expressões como "me escangalha"; "todos os molhos"; "diva" disto e daquilo; "apagar o lume"; "swagger"; "tira-mete-puxa-lhe dá"; "gostosa/o"... entre outras. E é escusado questionar a razão de tal uso: é o que vende, é o que as produtoras recomendam. Quanto mais banal e repetitivo, mais familiar se julga que vai soar. Ironicamente, quando vemos/ouvimos/lemos notícias de violência doméstica, que é em parte a tradução do tão festejado "escangalhamento", não tarda a repulsa da mesma sociedade. Será o público destinatário da mensagem tão estúpido que não possa receber conteúdos um pouco menos "gastos"? E o pior é que quando se quer variar, recorre-se, invariavelmente, à reinterpretação de temas antigos. Por muito boas que possam ser as intenções, este populismo é de um registo coloquial cada vez mais a descambar. E isso é que, literalmente, escangalha a esperança de gerar uma mentalidade mais higiénica como legado.

Sem comentários: