PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Nota solta | Não vejo razões para o redundante registo obrigatório de telemóveis que nunca foram anónimos

Para quem usa o mesmo número desde 2003, há treze anos portanto, com umas três requisições de segunda via pelo meio, mas mantendo sempre o telemóvel registado em nome próprio, é inevitável o desagrado em função desta medida do instituto de telecomunicações (INACOM) que obriga o utente a ir outra vez aos balcões das operadoras para efectuar o registo, sob ameaça de ver o número bloqueado. É o que se pode considerar um dar a face para a segunda bofetada, tendo em conta a já desfavorável posição em relação à falta de transparência no gasto dos UTT e outras chatices próprias de contratos de adesão. Que obrigassem àqueles que obtiveram o chip na rua, entendia-se. Agora, tratar todos pela bitola do utente marginal, é que chega a ser insultuoso ou perto disso. E lá vamos nós com o coitado do Bilhete de Identidade para garantir o dinheiro do vendedor de papel e tinta da fotocopiadora, sem falar das longas filas para ser atendido. Nem nos EUA, Namíbia, Israel, ou Inglaterra se desconfia tanto dos cidadãos. Conhecendo o país que temos, esta situação das enchentes nas lojas é passível de criar oportunidades para o suborno. Enfim..

Sem comentários: