PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

domingo, 24 de janeiro de 2016

Citação

"Eu não gosto muito de dissociar a questão da Eclésia especificamente da questão das outras rádios que o país tem. São todas rádios. A LAC pode transmitir para o país todo? A Rádio Mais pode? As outras rádios privadas podem legalmente fazer aquilo que a Rádio Eclésia pretende fazer? A questão é de base legal.
(...)
A minha questão não é se a reivindicação é injusta ou não. O que acho injusto é que se desloca a questão da Rádio Eclésia de um contexto que é mais abrangente. Há outras rádios privadas e sujeitas à mesma lei. Eu tenho manifestado esta opinião muito frequentemente e, sei que é uma opinião que gera sempre polémica. A única coisa que não entendo, é porquê isolar a questão da Eclésia? Acho que a Rádio Eclésia estará no seu direito, mas também estará a LAC, a Rádio Mais e todas as estações nas mesmas condições. Acho que estarão no seu direito todas as rádios impedidas por lei de fazer a mesma coisa que a Rádio Eclésia quer fazer. Mesmo porque, quanto à questão do alargamento do sinal haverá muitas formas legais de o fazer." - (Paula Simons, jornalista, gestora de comunicação social e política angolana. In Jornal O País, 01/01/2016. Luanda. Grande entrevista disponível na Internet)

Sem comentários: