PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

sábado, 2 de maio de 2015

Chave da prova de tradução (hahaha)

UMBUNDU

"Ndaile kolonganyo
Kofeka yoviNgangela
Kuli olohamwe
Vilumana nda alimbondwe.
A Suswana
Ku lile vali
Ame syendi vali
Ñala olotembo vyosi."


PORTUGUÊS

Fui à procura de trabalho
Em terras dos Ngangela
Há lá mosquitos
Que ferram como vespas
Não chores mais

Ó Suzana
Que eu já lá não vou
Vim para ficar.
…………………….
PARECER

Teve 3 (três) falhas, sendo a primeira onde traduz «alimbondwe» como sendo abelhas (quando na verdade se trata do plural de vespa, pois abelha é “olunyihi”). A segunda falha, que tem muito mais que ver com a regra na língua portuguesa do que propriamente com o Umbundu, consiste em atribuir ao mosquito a faculdade de “morder”, quando o coitado, tal como a vespa a que é comparada, não vai além de ferrar. A última está no verbo onde se confunde “Ñala” (de “ndi kala”) com Ñalã (Deus).

Teve 2 (duas) falhas ao traduzir «alimbondwe» como sendo abelhas (quando na verdade se se trata do plural de vespa, pois abelha é “olunyihi”). A segunda falha, que tem muito mais que ver com a regra na língua portuguesa do que propriamente com o Umbundu, consiste em atribuir ao mosquito a faculdade de “morder”, quando o coitado, tal como a vespa a que é comparada, não vai além de ferrar.

Fez um grande esforço, mas ficou-se atrás de todos, pois não encontrou o vocábulo correspondente a “alimbondwe”, que seriam vespas. E não foi desta que o improviso salvou a jornada, pois soa a tautologia dizer que “tem mosquitos mordem como bichos”, já que o mosquito, se é que fosse capaz de morder, fá-lo-ia como bicho mesmo, o que por acaso é.

Teve duas falhas só. Uma é fazer o mosquito “morder” como vespas, quando na verdade tanto um como a outra nasceram para ferrar. A segunda falha está no último verso, onde traduz “Ñala olotembo vyosi” como sendo “sinta-se a vontade para sempre”, quando devia ser “Vim para ficar”, ou fico por cá para sempre”, por exemplo.

A meu ver, 0 (zero) falhas.

Teve 1 (uma) falha só ao traduzir «alimbondwe» como sendo abelhas (quando na verdade se trata do plural de vespa, pois abelha é “olunyihi”).

Teve 1 (uma) falha só, que é fazer o mosquito “morder” como vespas, quando até tanto um como a outra nasceram para ferrar.

RESULTADOS

1.º Lugar para Venâncio, que não teve falha a assinalar.
2.º Lugar para Higino, que teve uma falha só.
3.º Lugar para Victorino, que teve uma falha só.


Detalhes para a entrega do prémio serão acertados em mensagem privada. Os três classificados receberão exemplar do livro FÁTUSSENGÓLA, O HOMEM DO RÁDIO QUE ESPALHAVA DÚVIDAS, contos com que Gociante Patissa procura homenagear o bairro Santa Cruz, que lhe deu as agruras para amadurecer e as felicidades para o necessário equilíbrio humano. Tente, que você é capaz.

Sem comentários: