PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

segunda-feira, 17 de março de 2014

A chuva

Consolam-se as olimpíadas de rãs
Perante o compasso frenético
Da chuva

Hiberna-se o festival de grilos
Diante o seu trovejar

Só depois da sua ausência
Povoando o anoitecer
Tudo retoma a normalidade


A chuva é mãe de todo o porvir
Silêncios
Sonolências
Sombras
Serviçais
Soberbos

A chuva é voz dos tambores
Perante o canto da cigarra

Sabe bem o brio da sua vinda
Sob o canto herero no virei
Retoma nossos adágios
Eleva o assobio pastor
E guia o gado à transumância

A chuva


David Capelenguela Capelenguela, in «Ego do Fogo», pág. 90. Triangularte Editora. Luanda, Angola, 2013

Sem comentários: