PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Crónicas da Via: DIÁLOGOS DE BANCO DE TÁXI

“Como é isso?”
“Devagar, mano.”
“Você é fiscal ou migração?”
“Migração.”
“Gosto mais quando vocês apanham chinês ilegal.”
“Yá. Chinês é teimoso. Está sempre a gastar dinheiro. Lhe apanham, paga e sai. Depois, lhe apanham mais, paga e sai. A multa dele é grande, cinco mil dólares não lhe importa. Mas ir na terra dele, estrangeiro chora. ”
“Mas também, aqui, o chinês faz muito dinheiro. Cada negócio, cada obra, sai muito mais do que isso.”
“É verdade. Até o meu vizinho, que deu obra no vietnamita, gastou 25 mil dólares.”
“Só mão-de-obra, ou com material?”
“Mão-de-obra.”
“O que não gosto do chinês é que ele faz tudo: constrói, pinta, é serralheiro, ladrilha. Uma pessoa não pode fazer tudo, sai mal.”
“Aquele parece que trouxe uns sete mestres. Moram mesmo na obra.”

Sem comentários: